Suspeita: Ministro da Pesca estaria liberando funcionários terceirizados em horário de expediente para fazerem campanha para Dilma

Ministro da Pesca, Eduardo Lopes. Reprodução
Ministro da Pesca, Eduardo Lopes. Reprodução

A Redação já recebeu, por duas vezes, denúncias feitas por um funcionário terceirizado do Ministério da Pesca, que não quis ser identificado, de que o próprio ministro, Eduardo Benedito Lopes, estaria autorizando alguns funcionários simpatizantes à candidatura de reeleição da presidente Dilma para fazerem campanha em pleno horário de expediente.

Se o caso for verídico caracteriza crime eleitoral e uso político do Estado para patrocinar candidato da situação, ou seja, a própria presidente da República.

O Ministério da Pesca corre sério risco de ser extinto ou fundido com o Ministério da Agricultura, em uma possível vitória de Marina Silva (PSB) ou Aécio Neves (PSDB). Daí o suposto medo dos funcionários do ministério de perderem o emprego, caso Dilma não se reeleja.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *