Contagem regressiva para os servidores do Hospital de Base de Brasília

Servidores lotados no Hospital de Base ganham prazo para se manifestarem sobre a permanência ou não na unidade de saúde, que, em breve, será Instituto Hospital de Base. Uma portaria publicada ontem no Diário Oficial do DF estabelece as condições e concede 45 dias para que optem pela cessão ao instituto ou remoção para outras unidades da Secretaria de Saúde. O texto entra em vigor em 15 dias e, a partir daí, começará a contagem regressiva.

Início do planejamento

A pasta argumenta que trata-se de um levantamento, que será realizado com o objetivo de conhecer as preferências dos servidores, o que seria necessário para que se comece a planejar o instituto. Conforme a portaria, o servidor que não se manifestar na ferramenta criada para este fim e no prazo previsto perderá prioridade na indicação da preferência para a nova lotação, que será feita em até 180 dias após o início da vigência do contrato de gestão com o instituto.

Direitos preservados

Caso optem por permanecer no instituto, os profissionais terão a mesma carga horária que atualmente exercem e, conforme a Secretaria de Saúde, terão preservados todos os direitos relativos ao regime estatutário, no cargo e carreira de origem, inclusive no que tange à remuneração e à contagem de tempo de serviço. E quem optar pela remoção deverá indicar, na mesma manifestação, até três unidades de preferência.

Prometer não adianta

Valorização do servidor público é consenso entre as bandeiras dos políticos que se colocaram como candidatos ao Governo do DF. Ainda na campanha, o hoje governador Rodrigo Rollemberg também pregava políticas de reconhecimento das categorias. E tem enfrentado inúmeros embates com os trabalhadores, com o atraso no pagamento de horas extras, o não pagamento dos reajustes concedidos por lei, corte no salários de dias parados por greve etc. (Ponto do Servidor/JBr)

3 thoughts on “Contagem regressiva para os servidores do Hospital de Base de Brasília

  1. Bem feito! Fica aí parado vendo gestores incompetentes e desqualificados perseguir seus colegas de trabalho e fica aí omisso pra não sobrar para vc! Estão desesperados? Isso é só o começo! Equipe desunida tem o destino que merece! Lembre se na gestão do Agnello, os comissionados que arruinaram com o hospital, móveis foram sucateados, moveis novos comprados e tudo tinha a finalidade de arruinar com o hospital e o serviço público e não me diga agora que não sabiam!

  2. É a história do Sarah de novo. Se você quiser saber o começo, meio e final, reveja o que aconteceu com o Sarah e seus funcionários desde 1979.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *