Distrital Raimundo Ribeiro lamenta morte de reitor da UFSC

Ao comentar a morte do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier, que suicidou – se em razão de ter sido preso, impedido de ingressar na universidade e brutalmente exposto na mídia como se fosse um criminoso, o deputado Raimundo Ribeiro denunciou o estado autoritário que vigora no país. Ribeiro lembrou que a acusação contra o reitor era de não dar prosseguimento à uma investigação administrativa sobre fatos ocorridos na gestão anterior.

De acordo com o parlamentar, o crime, que foi atribuído ao reitor, e agora já se sabe que a acusação é falsa, nunca levou ninguém a prisão.

Além disso, Ribeiro destaca a espetacularização da prisão do reitor que o levou a não suportar a vergonha e o vexame a que foi submetido.  “Essa relação incestuosa e imoral entre setores da imprensa e órgãos de controle social, que objetivam expor as pessoas que são alvos dos órgãos, produziram o primeiro cadáver “, declarou.

“E agora, quem vai punir os assassinos do professor Luiz Carlos Cancellier?”, finalizou o parlamentar com este questionamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *