Distritais articulam emendas para garantir pagamento de licenças para professores

Vários deputados distritais manifestaram intenção de destinar recursos, por meio de emendas parlamentares, para garantir o pagamento das licenças prêmios não gozadas de professores da rede pública de ensino. O assunto foi debatido durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa desta terça-feira (28).

As emendas serão articuladas pelos distritais nos próximos dias, de acordo com o presidente da Câmara Legislativa, deputado Joe Valle (PDT). As manifestações foram acompanhadas por um grupo de professores das galerias do Plenário.

Cerca de 2 mil professores que se aposentaram desde o ano passado reivindicam o pagamento das licenças em pecúnia, mas o GDF alega que não tem recursos para honrar o compromisso. A deputada Celina Leão (PPS) defendeu os direitos dos professores e garantiu que os recursos serão destinados pelos parlamentares.

O deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) cobrou do governo no mínimo a definição de um cronograma de pagamento. Também defenderam o pagamento dos benefícios os deputados Wasny de Roure (PT), Wellington Luiz (PMDB) e Bispo Renato Andrade (PR).

Coleta de lixo – Outro assunto que repercutiu entre os deputados na sessão desta terça-feira foi o pronunciamento da deputada Celina Leão sobre suposta irregularidade na contratação de empresa de coleta de lixo. De acordo com a deputada, o GDF firmou contrato de emergência com a empresa Sustentare por um valor maior do que ofertado pela concorrência.

A deputada informou que, em 120 dias, o governo gastará R$ 12 milhões a mais do que a proposta apresentada por outra empresa. Celina explicou que a denúncia é objeto de representação assinada por ela, sustentada por cerca de mil páginas de vasta documentação.

A distrital defendeu que a Câmara investigue o caso a fundo e mencionou fatos como o envolvimento de acionistas da empresa que ganhou o contrato com a operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O líder do governo, deputado Agaciel Maia (PR), disse que a denúncia é decorrente de uma guerra particular entre as duas grandes empresas do setor. Mais sustentou ainda que o caso está em análise na Justiça, no Ministério Público e no Tribunal de Contas do DF.

O deputado Raimundo Ribeiro (PPS) considerou a situação grave e classificou como “coincidências estranhas” alguns fatos relacionais com o caso, como o vínculo de envolvidos com a campanha do governador Rodrigo Rollemberg. “É imperioso que este parlamento investigue o caso”, completou.

Saúde – O deputado Bispo Renato ocupou a tribuna para lamentar situação da saúde pública no DF. O parlamentar lembrou que na semana passada a secretaria de saúde apresentou relatório referente ao balanço do segundo quadrimestre na Comissão de Governança, Fiscalização e Controle com dados “inconsistentes e incompletos”.

Na opinião do deputado, a secretaria deveria apresentar “informações verdadeiras e dignas de confiança”, como o número de mortes nas emergências por falta de atendimento e falta de medicamentos. (CLDF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *