Ping Pong com Alírio Neto

Foto: Reprodução

 

Por Fred Lima

 

Três vezes deputado distrital, tendo presidido a Câmara Legislativa do DF em uma das ocasiões, Alírio Neto (PTB) acredita que chegou a hora de alçar voos maiores. Mesmo não conseguindo se eleger deputado federal na eleição passada, obteve 78.945 votos. Secretário de Justiça dos governos Arruda e Agnelo, o petebista acumulou experiência no Executivo para sonhar com o Palácio do Buriti. Na pior das hipóteses, Alírio pode plantar a semente neste pleito para se cacifar em 2022. Em conversa com o blog, o ex-distrital falou sobre o racha da direita, a hipótese de ser vice de Jofran Frejat (PR) e o seu plano de governo para a categoria policial do DF.

 

O lançamento de sua pré-candidatura não rachará o grupo da direita, favorecendo a reeleição do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), dificultando, inclusive, uma possível composição no segundo turno, caso dispute?

Tenho uma aliança com o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) e com o ex-vice-governador Paulo Octávio (PP). Temos um grupo maior do lado de cá. Não estamos rachando a direita, mas apresentado uma nova alternativa com o apoio desses nomes citados.

 

Abriria mão de sua pré-candidatura ao Buriti como cabeça de chapa se o pré-candidato Frejat o convidasse para ser vice dele?

Não abro mão. Já fui sondado, mas hoje essa hipótese está descartada. Sou o único pré-candidato a governador do PTB nacional. Isso saiu do meu comando. Na política não existe posição irrevogável, porém, a chance disso não acontecer é de 90%.

 

Como delegado aposentado da PCDF, qual política quer implementar para valorizar a categoria de policiais?

Vamos dar condições para que o DF faça a primeira experiência no país de unificação das polícias. Vou ao Ministério de Segurança Pública conversar com o ministro para que isso seja viabilizado. O Brasil tem que mudar a questão da segurança pública. O cidadão não pode ficar nesta dicotomia de ter várias polícias para tratar do seu problema, e nenhuma se responsabilizar pelo processo até o fim.

 

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *