Possível destino dos deputados federais do DF na eleição

 

Por Fred Lima

 

O blog analisou o caminho que pode ser traçado pelos atuais deputados federais do DF nesta eleição. Trata-se de uma fotografia do momento, que pode mudar a qualquer instante. Vamos lá (por ordem alfabética):

 

Alberto Fraga (DEM)
O desgaste causado pelo caso Marielle, bem como o retorno do diálogo com o grupo de Jofran Frejat (PR), indica que o deputado será candidato à reeleição na Câmara ou disputará uma cadeira ao Senado. Buriti nem pensar…

 

Augusto Carvalho (Solidariedade)
Anda sumido do meio político local. Adotou a pauta federal e quase não se manifesta sobre assuntos do DF. Deve buscar a reeleição, mas o cenário indica que as chances serão poucas.

 

Erika Kokay (PT)
Este blogueiro ouviu de um ex-presidente do PT-DF que a deputada não será candidata ao GDF, mas à reeleição na Câmara, pois é algo mais “garantido”, segundo ele.

 

Izalci Lucas (PSDB)
Absolvido pelo STF nesta semana, Izalci será lançado em breve pré-candidato do PSDB ao governo. No entanto, o deputado é mais comedido que outros pré-candidatos e pode acabar aceitando compor com o grupo de Frejat, podendo disputar uma vaga ao Senado. O sonho do tucano é ser vice do ex-secretário de Saúde, mas esbarra no MDB, que quer indicar o nome para o cargo.

 

Laerte Bessa (PR)
Alguns o vêem como grosseiro, mas acabou ganhando fama entre o funcionalismo público e setores que fazem oposição ao governo Rollemberg, ao desferir ataques no plenário da Câmara contra o chefe do Executivo local. A reeleição não é garantida. Obteve 32.843 votos e foi puxado pelo quociente eleitoral.

 

Rogério Rosso (PSD)
Após a votação que reelegeu Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara, Rosso desapareceu dos noticiários. O motivo do desaparecimento é um problema de ordem pessoal, segundo o que se ouve nos bastidores. Mesmo assim, o parlamentar tem musculatura política para buscar um segundo mandato na Câmara.

 

Ronaldo Fonseca (PROS)
Assim como Augusto Carvalho, passou três anos sumido da cena política brasiliense. Acabou saindo da toca no meio do ano passado, quando seu nome foi cogitado para assumir a Secretaria de Governo, o que não se concretizou. Indicou Wagner Rodrigues de Sousa para a Secretaria Adjunta do Trabalho. Pode disputar o Senado ou a Vice-Governadoria na chapa de Rollemberg.

 

Rôney Nemer (PP)
Há dois anos, tive uma conversa com o deputado na frente do plenário da Câmara Legislativa do DF, onde ele confidenciou que quer retornar ao legislativo local. A pauta federal não era a sua praia,  conforme relatou. Sendo assim, tudo indica que Nemer poderá retornar à CLDF.

 

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *