A confusão que fazem entre jornalismo informativo e opinativo

 

Por Fred Lima

 

Em ano eleitoral, é comum a prática de utilizar asseclas para rebater opiniões publicadas por veículos que fazem a cobertura política. Os candidatos recorrem a seus cabos eleitorais para atacar, desconstruir e diminuir as manifestações legítimas dos autores de artigos, afirmando que não são imparciais e isentos.

Confundem jornalismo informativo com opinativo. Tentam marginalizar a categoria de articulistas que vão contra o que defendem, pois não aceitam que tomemos posições contrárias aos seus interesses.

Imparcialidade e isenção não existem no jornalismo opinativo. No jornalismo informativo, o repórter não pode tomar lado, nem no investigativo, quando uma denúncia deve ser averiguada, tendo que ser ouvido tanto o denunciante quanto o denunciado.

Para formar uma opinião, o articulista deve manifestar o que pensa sobre determinado assunto. Dessa forma, é impossível ser neutro. Vale ressaltar: não se trata de informação, mas de opinião.

Não confundamos alhos com bugalhos.

 

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *