#DebateBand: Avaliação e nota dos candidatos ao Planalto

 

Por Fred Lima

 

Promovido pela TV Bandeirantes, o primeiro debate presidencial das eleições 2018 nessa quinta-feira (09/8) foi morno e sem embates acalorados, como aguardavam os admiradores dos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT). Em vez disso, o que vimos foi uma trégua clara entre os dois candidatos. Segue os comentários e as notas de cada concorrente (por ordem alfabética), segundo a avaliação do blog:

 

Álvaro Dias (Podemos)

Comentário: Fã do juiz Sérgio Moro, o candidato do Podemos exagerou nas referências. Além disso, demonstrou intranquilidade e, assim como Meirelles, foi lento em suas elucidações. Teve uma notável melhora quando questionou o candidato do MDB sobre a dívida pública, deixando-o em maus lençóis.

Nota: 6,0

 

Ciro Gomes (PDT)

Comentário: Conseguiu domar a intemperança de 16 anos atrás, demonstrando tranquilidade no decorrer do debate. Assim como o candidato do PSDB, foi claro ao explicar suas propostas para a área econômica e não fugiu dos temas apresentados.

Nota: 6,5

 

Daciolo (PRP)

Comentário: Repetitivo e sem propostas, o candidato do PRP parecia mais um reverendo pentecostal que um concorrente ao Planalto. Só faltou entrar em êxtase religioso ao vivo. Disse por repetidas vezes que era “a vez do novo”, o que pode confundir a cabeça do eleitor, pois o candidato do partido Novo é João Amoêdo, que não participou do debate. Ao se referir a Deus por diversas vezes, Daciolo estava flertando com o público evangélico, 22,2% da população, segundo o IBGE.

Nota: 4,5

 

Geraldo Alckmin (PSDB)

Comentário: Não conseguiu explicar direito como irá governar com o apoio fisiológico do centrão, caso seja eleito. Porém, foi claro ao explanar suas propostas para a retomada do crescimento e da geração de empregos, diferentemente de 12 anos atrás, quando concorreu ao Planalto pela primeira vez.

Nota: 6,5

 

Guilherme Boulos (PSOL)

Comentário: Braço auxiliar do PT, o candidato do PSOL mais uma vez defendeu a liberdade do ex-presidente Lula. Só que, ao mesmo tempo, criticou a passagem do candidato do MDB pelo Banco Central de Lula, esquecendo-se que a política econômica tinha o aval do ex-presidente. Crítico feroz da era Temer, o concorrente se saiu bem ao afirmar que os demais adversários eram “os 50 tons de Temer”, uma alusão ao filme “50 tons de cinza”.

Nota: 5,5

 

Henrique Meirelles (MDB)

Comentário: Sem carisma e lento ao tentar esclarecer o crescimento da dívida pública. Falta didática e persuasão ao candidato do governo. Quando tentou criticar o PSDB com relação à posição da sigla quanto ao Bolsa Família, acabou se esquecendo que já foi tucano, defensor da era FHC, período em que foram criadas as primeiras bolsas de distribuição de renda.

Nota: 5,0

 

Jair Bolsonaro (PSL)

Comentário: Como já era de se esperar, o candidato começou o debate sendo provocado por Boulos. Entretanto, resolveu adotar uma postura mais comedida e amistosa com os demais postulantes, inclusive com Ciro, com quem já trocou farpas publicamente na imprensa. Afirmou que o Ministério dos Transportes é um dos mais corruptos do país, mas esqueceu que o PR, que comanda a pasta por muitos anos, quase indicou o vice em sua chapa.

Nota: 6,0

 

Marina Silva (Rede)       

Comentário: Repetiu o mesmo discurso das duas eleições passadas. Não mostrou nada de novo. Seu melhor momento foi quando pressionou o candidato do PSDB quanto ao apoio do centrão, dizendo ser impossível governar para o povo com o mesmo grupo que apoia o atual governo.

Nota: 6,0

 

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *