Deu a louca no coronel: Fraga ataca ferozmente Ibaneis do plenário da Câmara e poupa Rollemberg. Ou: Quando a derrota não é digerida

Foto: Reprodução

 

Por Fred Lima

 

Sempre tive admiração pelo trabalho do deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) desde os mandatos anteriores. O democrata criou um dos slogans mais famosos da história política da capital: “Governador, respeite o povo!”. Mesmo sem mandato, foi um implacável crítico da administração Agnelo Queiroz (PT). Como deputado da oposição, um ferrenho fiscal do atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Todavia, Fraga demonstrou hoje ser um mau perdedor.

Fazendo uso da tribuna da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (11), o parlamentar atacou de forma bastante ríspida o candidato do MDB ao governo do DF, Ibaneis Rocha. As acusações vão de inquéritos a um tal de Lourival. Só que o que mais chamou a atenção foi o deputado dizer que o povo de Brasília não pode cometer o “desatino” de eleger Ibaneis, mas sem citar o atual governador. De duas, uma: ou Fraga cometeu a maior gafe de sua carreira política ou está fazendo campanha disfarçada para o candidato do PSB.

Durante o discurso, o presidente do DEM-DF deu uma de “mãe Dinah” e “previu” que Ibaneis “vai ser um desastre” para a cidade, caso eleito. Se tivesse pelo menos criticado o governador, tudo bem. O problema é que o coronel da reserva poupou o chefe do Executivo. Estranho…

Com a saída de Jofran Frejat (PR) da disputa, Fraga e Ibaneis travaram uma batalha nos bastidores para saber quem seria o cabeça de chapa da mesma coligação que apoiava o ex-secretário de Saúde. Como não conseguiu o apoio do MDB e PP, o democrata saiu atirando no ex-presidente da OAB/DF: “Ele não tem voto”.

Como amargou a sexta posição no primeiro turno da eleição, o ego militar de Fraga acabou sendo ferido pela vitória do emedebista.

Faltou humildade para reconhecer o triunfo do opositor.

 

Da Redação

 

 

One thought on “Deu a louca no coronel: Fraga ataca ferozmente Ibaneis do plenário da Câmara e poupa Rollemberg. Ou: Quando a derrota não é digerida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *